Pages

domingo, 25 de janeiro de 2009

AVISO: Posts ANTIGOS! Transferi meu blog antigo para o domínio Blogspot e por enquanto estarei em hiato. Volto a postar no segundo semestre desse ano. Um abraço a todos!

Francesas em alta no cenário musical mundial


ÉMILIE SIMON


De voz encantadora - beirando constantemente um tom pueril - a cantora francesa Émilie Simon foi a mentora de toda a trilha sonora do filme "A Marcha dos Pingüins".

Não é à toa que todo o magnífico processo de composição e canto foi premiado com o prêmio César de Melhor Trilha Sonora Original e o Victoires de La Musique - todos no ano de 2006.

Com cinco CDs lançados - La Marche de L´Empereur (2005), Émilie Simon (2006), Végétal (2006), The Flower Book (2006) e À l'Olympia (2007, ao vivo) - a artista mescla sua doce voz com a sonoridade eletrônica da lounge music e do pop. Até "Come as you are" da extinda banda Nirvana, foi tema de um de seus covers. Belo trabalho.



CARLA BRUNI


Atualmente mais conhecida por ser a Senhora Sarkozy - primeira dama da França - Carla Bruni largou as passarelas do mundo da moda em 1998 para dedicar-se à música.

Apesar da polêmica causada por ter sido fotografa nua para uma revista - muitos franceses repudiaram tal atitude - Carla provou para a crítica musical que possui excelente domínio vocal e sabe compor. Seu álbum de estréia, "Quelqu'un m'a dit", vendeu mais de 200 mil cópias na França e alcançou o topo de vendas na filial francesa da Amazon.

Até agora, a cantora mais valiosa para as lentes dos franco-paparazzo lançou três álbuns: Quelqu'un m'a dit (2002), No promises (cantado em inglês, 2006) e Comme Si De Rien N'Était (2008, cantado em francês e inglês). Voz doce e suave, mesclada com uma musicalidade folk. Sensibilidade na medida certa para seus ouvidos.



PLASTISCINES


Elas podem não ser a "salvação do rock" francês, mas com certeza são a nova revelação do gênero - considerando que a França não tem grande intimidade com o rock´n´roll.

As quatro meninas têm fôlego (e vontade) para alavancar sucessos de estilo pop e hardcore para um público adolescente e, por que não, emocore. Deixando a beleza e o fashionismo de lado - elas já foram capas de revistas de moda francesa - Katty (vocal), Marine (guitarra), Louise (baixo) e Anais (bateria) estão no caminho certo.

Basta deixar que o tempo traga a maturidade necessária para que novos projetos ganhem mais consistência sonora. Como se vê, há chances de sobra para elas.

Enquanto isso, no Ebay...





Entre outras celebridades e personagens de cinema, a boneca estilo Barbie da Angelina Jolie está sendo vendida pelo site Ebay por apenas 3 mil dólares! Vá gostar da Angie assim lá no inferno...

Como dito anteriormente, além dela há outras personalidades, das quais destaco da ala masculina o boneco do ator Johnny Depp.

2ª temporada de Vampire Knight chega em outubro


Criado em janeiro de 2005 por Hino Matsuri, o mangá Vampire Knight só foi ganhar uma versão em anime a partir de abril de 2008. O Estúdio DEEN - responsável por esta adaptação - produziu a primeira temporada em 13 episódios, e a segunda (que também será composta por 13 capítulos) está prometida para o dia 6 de outubro deste ano.

O enredo do anime gira em torno da questão "vampirística-colegial". Explico. A história acontece dentro do Colégio Cross, onde há duas turmas divididas em dois turnos: a Day Class e a Night Class. Acontece que, tratando-se de vampiros, é óbvio o motivo da turma da noite estar afastada da diurna, you know?

Para ajudar no cumprimento das regras escolares, a monitora Yuuki Cross (filha adotiva do dono do colégio) e Zero Kiryuu cuidam a saída pelo portão dos jovens e belos vampiros - os quais são motivo de alvoroço para as meninas da Day Class. Kaname Kuran é um vampiro puro-sangue que salvou a vida de Yuuki quando ela tinha 5 anos - e que nutre por ela um carinho especial...

Bem, eu poderia citar mais coisas, mas alguém leria e acusaria de spoiler... Ah, deixa eu contar que o Zero é um vampiro, vai... Pronto, contei. É que esse detalhe é básico para entender o desenrolar da trama.

Quer saber mais? Então baixe já os episódios desse envolvente anime em formato AVI através do site da Meikai Animes:

http://www.meikai-animes.com/index.php?mod=media_itens&med_id=718

Amy Winehouse e Sex and the City em toy art!



Recentemente o bazar online Bangoo - www.bangoo.com.br - lançou duas curiosas versões em toy art de "ícones" femininos: a cantora-problema Amy Winehouse e as carismáticas personagens do seriado americano Sex and the City.

Chamadas de Tôsqkas, as bonequinhas de pano custam R$ 66,00 cada.

Há três toys da Amy, cada uma com um vestidinho e sapatos diferentes. Já as toys da mulherada do S&C possuem apenas um modelo cada uma.

Parceria Tokidoki - Onitsuka Tiger


E já que estamos falando especificamente de tênis, outra grande marca que não pode deixar de ser citada é a linha Onitsuka Tiger, da Asics.

Tão variada quanto a rival americana All Star, a empresa japonesa tornou-se famosa nos últimos anos desde a aparição de seu produto mais famoso: o amarelo Onitsuka Tiger Wrestiling 81 - utilizado por Uma Thurman no filme Kill Bill.

Agora, uma parceria entre a calçadista japonesa e a "mangática" italiana Tokidoki - do designer Simone Legno - promete definir uma nova tendência fashionista para os jovens mais descolados.

Com cores vibrantes e imagens dos personagens "toy arts" de Legno - inspiradas nos mangás e animes - a Onitsuka Tiger traz à tona o melhor da criatividade japonesa em dois pés.

Além disso, as duas empresas criaram um site muito fofo para quem quer conhecer a nova linha e gosta de animações - com direito à download de wallpapers - acessa aí:

www.asicsamerica.com/onitsukatiger/tokidoki/

All Star - o tênis centenário


Um tênis básico, e ao mesmo tempo, moderno. Assim pode-se definir o All Star Converse, calçado esportivo criado em 1908 e que este ano completou dignamente seu centenário. Marquis M. Converse deu início à empresa calçadista responsável pelo maior ícone do vestuário norte-americano (equiparando-se apenas ao jeans), o famoso All Star.

Acontece que o simples calçado só foi ganhar fama dez anos depois, graças às idéias inovadoras de Chuck Taylor - jogador de basquete que foi trabalhar na fábrica do Sr. Converse. Apostando em um design amplamente ajustável aos movimentos dos pés dos clientes - na época, esportistas - Taylor reformulou o tênis, redesenhando a sola e adicionando uma proteção extra no calcanhar e no tornozelo. Não tardou para que o All Star virasse mania entre os jogadores de basquete entre outros esportes.

Mas, você sabe de que época veio essa idéia de "fashionismo" sobre o tênis? Pois é, se você pensa que o hype do uso do All Star começou só agora, com artistas e moderninhos em geral, engana-se: foi na década de 60 que a empresa Converse começou a apostar no mundo da moda. Tentando desmistificar um simples calçado com a tendência do glamour de uma moda mais underground, o calçado começou a ser adquirido por atletas da elite do esporte estadunidense, chegando por fim, ao mainstream do rock, dando seqüência até os dias de hoje.

Aqui no Brasil, a marca All Star Converse atualmente é dividida em quatro linhas de produtos: INDIE, VARSITY, URBAN e METRO. Ou seja, tem para todos os gostos e estilos. Quer saber mais acerca do centenário e dos modelos do tênis mais famoso do mundo?

Acesse o site http://www.converse.com/ e escolha o seu preferido!

A Turma cresceu!


Com previsão de lançamento entre os dias 14 e 24 deste mês, na 20ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, Turma da Mônica Jovem é o novo trabalho do cartunista Maurício de Souza. Com estilo mais arrojado e linhas de arte final que buscam inspiração nos mangás, o quadrinho mais famoso do Brasil agora adentra à uma nova etapa na vida dos carismáticos personagens.

Oito anos mais velhos, Mônica e seus amigos passaram pelas transformações físicas da adolescência; novas preocupações e inquietudes aparecem - mas tudo cimentado nos valores nobres da amizade de cada um.

Crescida e mais magra, Mônica narra suas aventuras em um notebook; Cebolinha passou por um tratamento fonoaudiológico; Magali cuida melhor de sua alimentação, e o Cascão vira praticante de esportes radicais - mas banho que é bom...

É importante lembrar que a edição infantil da Turma da Mônica continua - essa é apenas uma nova "linha" dos produtos Maurício de Souza, objetivando atrair novos leitores - mais precisamente, jovens fãs de quadrinhos japoneses.

sábado, 24 de janeiro de 2009

ONCE (Apenas Uma Vez) - o filme


Premiado com o Oscar 2008 de Melhor Canção Original - composta pelos próprios atores Glen Hansard e Marketá Inglová, com a música "Falling Slowly" - o longa Apenas Uma Vez traz uma linguagem diferente para o cinema contemporâneo. Apostando na música como fio condutor da história, o diretor e roteirista John Carney inova, dando espaço para as canções guiarem o público através da trama entre o músico e a florista. O ousado recurso causa a impressão de a película parecer-se com um belo videoclipe.

Um músico toca suas canções para os transeuntes através das ruas de Dublin, capital da Irlanda. No decorrer do dia-a-dia da cidade, aparece em seu caminho uma imigrante tcheca vendedora de flores, a qual traz em seu silêncio, a paixão pela música. O inesperado encontro desperta desejos e acaba por motivar os sonhos de cada um, envolvendo canções, poesia e imagens distorcidas propositadamente. Este é o início do filme, que foi gravado com poucos recursos e de forma independente.

Durante toda a obra, não se ouve o nome dos personagens e as músicas vão assumindo um papel fundamental, como se fosse um terceiro protagonista dentro do enredo. Elas traduzem os sentimentos contidos e substituem os estados psicológicos dos personagens, em uma edição em que as canções tocam na íntegra, por mais de uma vez.

A proposta de Carney - deixar como efeito o ambiente escurecer naturalmente - acaba por trazer à tona a realidade da cidade irlandesa. Como exemplo, temos a cena em que a florista volta para casa à noite, e encontra sua mãe e sua filha Jovanka. No apartamento da família, a iluminação é tão natural que não dá para ver o rosto das pessoas e os cômodos, deixando para o espectador "tatear" no escuro de sua imaginação, as imagens construídas pelo diretor e pela fotografia.

Este recurso relaciona-se com a proposta da câmera na mão, lembrando o estilo instituído pelo movimento Dogma, em 1995, em Copenhague - um cinema menos comercial e mais realista. Porém, o filme fica distante de certas normas ditadas pela escola, quando o áudio é gravado separado das imagens, sendo este bem apurado.

Sem seguir padrões comerciais, Apenas Uma Vez tem por propósito aguçar o ouvido de quem o assiste, levando o espectador a percorrer a lógica do belo romance - onde, nesse caso, a estrela principal é a música.

Brasil é bicampeão no concurso WCS!


No início deste mês, os brasileiros Gabriel Niemietz Braz e Jéssica Moreira Rocha Campos foram os campeões mundiais do concurso World Cosplay Summit 2008, que ocorreu em Nagoya, Japão.

Representando o anime/mangá Burst Angel, Jéssica fez cosplay da personagem Jo e Gabriel, de Jango. A performance espetacular e o capricho nas respectivas caracterizações, rendeu ao Brasil o bicampeonato no concurso.

Parabéns à dupla! E que venha o WCS 2009!

Shirley Manson na Comic-Con 2008



No final do mês do passado, ocorreu em um centro de convenções em San Diego/CA (EUA), o evento Comic-Con International, com muitas atrações do mundo das HQs e séries americanas. Terminator: The Sarah Connor Chronicles foi um dos grandes representantes do gênero "seriado-ação", o qual contou com uma coletiva de imprensa para a divulgação da segunda temporada da série.

Como já citei aqui no blog anteriormente, a vocalista da banda Garbage, Shirley Manson, fará participação no projeto, dando vida à personagem Catherine Weaver - diretora de uma empresa de alta tecnologia.

Senador quer proibição de downloads na internet


Foi no início do mês, mas só agora tive tempo de postar algo a respeito: O "ilustríssimo" aí da foto, o senador Eduardo Azeredo, quer porque quer acabar com o direito dos internautas de fazerem seus downloads. O tal Projeto de Lei para Crimes na Internet já andava em trâmite desde 2006, quando Azeredo apostava na identificação de cada usuário (CPF, RG) ao utilizar qualquer serviço da rede mundial. É claro que a "idéia" gerou bate-boca, mas daí ficou só nisso.

Eis que nesse mês, o político do PSDB de Minas Gerais (e envolvido com o esquema do Mensalão), volta a atacar: seu absurdo projeto de lei conseguiu ser aprovado pelo Senado. No entanto, a coisa agora foi mais a fundo - ele quer a proibição de DOWNLOADS via internet. Ou seja: adiós MP3, episódios de seriados, filmes, etc! O quê??????? É, pois é, eu também fiquei espantada com a possibilidade dessa lei idiota entrar em vigor.

Eu me pergunto o porquê de toda essa sandice, uma vez que deveria haver uma preocupação ostensiva no que tange CRIMES REAIS como pedofilia, incitação à violência, entre tantos outros via web. O senador Azeredo não tem mais o que inventar, não? Além de estar envolvido até o pescoço com toda essa maracutaia do Mensalão, o cara perde tempo criando projetos de lei inescrupulosos e sem sentido???

Então, caro internauta, aproveite enquanto pode: baixe filmes, músicas, mangás, animes; porque daqui a pouco poderemos ser considerados criminosos, até mesmo se você for tradutor de algum fansubber!

A propósito, rola na web uma petição para barrar o possível estrago desse projeto de lei tão non sense. Confira e assine! Esse absurdo tem que acabar!

http://www.safernet.org.br/petitioner/projeto_lei_azeredo/

Karina Bacchi de Sailor Urano!



Mês passado, saiu uma matéria sobre cosplays dentro do programa Domingo Espetacular (que passa na Record), dentro do quadro "Um baque com Karina". Esbanjando simpatia, a atriz Karina Bacchi apresentou curiosidades sobre o universo cosplayer, como aulas de mangá e entrevistas com cosplayers.

Até aí tudo bem, não fosse um pequeno erro da produção ao relacionar Sailor Urano com Sailor Moon - vide o momento em que Karina experimenta alguns cosplays. Ao lado de cada um, aparecia o personagem relacionado, porém, no momento em que ela aparece vestida de Sailor Urano, imagens de Serena Tsukino (Sailor Moon) são postas ao lado.

Por isso muita gente comentou que a Sailor Urano dela ficou muito "fofa" e "querida"; também pudera, os produtores trocaram as informações sobre a personagem. Quem conhece o anime/mangá Sailor Moon, sabe que Haruka Tenoh (Sailor Urano), é possuidora de uma personalidade forte e séria, além de ressaltar seu estilo masculino.

Apesar desse pequeno "tropeço" da reportagem, o objetivo foi bem cumprido, dando uma idéia para os leigos de como é ser um cosplayer. Abaixo o link da matéria:

http://http://www.mundorecord.com.br/play/6fb806b4-4492-457b-bf87-791fda9fc07f

Simplesmente Ludov...


Recentemente fiz o download do EP "Dois a Rodar" (2003) e do cd "O Exercício das Pequenas Coisas" (2005) da banda paulistana Ludov. Sempre gostei do som deles, apesar de conhecer muito pouco da carreira do grupo. Assim como eu, muitas pessoas por todo o Brasil ficaram sabendo da existência do Ludov através da exibição do videoclipe da música "Princesa" (2004) pelo canal MTV Brasil. Não tardou para que ele alcançasse boa posição nas paradas do extinto programa Disk MTV e levasse a banda a ganhar um prêmio no Video Music Brasil daquele ano. Já a canção "Kriptonita" - outro sucesso da banda, concorreu em 2005 com três categorias na premiação.

A voz firme que embala o Ludov é de Vanessa Krongold, acompanhada das sonoridades do guitarrista Mauro Motoki, do baixista Habacuque Lima e do baterista Paulo "Chapolin".

Para mim, os grandes destaques do EP são as músicas Trânsito e o hit Princesa. Já no álbum o Exercício das Pequenas Coisas, as vinte faixas que o compõem são amistosas e flertam com diferentes possibilidades - o que poderia ser uma grande vantagem, acabou contribuindo para o enfraquecimento de algumas canções. Como exemplo, a faixa 14 "Gramado", que tinha tudo para ser um hit, perde-se apenas no decrescente refrão. E o que dizer da melancolia exagerada de "Todo esse ar", faixa 17 do cd??? É de ouvir e cortar os pulsos... E me pergunto também qual a função da faixa 13 "Supertrunfo", que passa dois minutos e meio entre uma bateria e guitarra que remetem ao som da banda gaúcha Bidê ou Balde, apenas com um cantarolado "Uhu-hu-hu-huuu"?

Tirando esses pequenos "tropeços", o Ludov é sem dúvida uma banda de respeito e personalidade, sabem fazer um som legal e inteligente - suas letras provam isso - e creio que o tempo os fará melhores. Essa é a minha torcida e garanto que também de todos os fãs ludovicos! Sorte e sucesso para o Ludov!

O retorno de Night Shyamalan



Sexta-feira passada, dia 13 de junho, foi a estréia mundial do filme Fim dos Tempos (The Happening, em inglês) do diretor indiano M. Night Shyamalan. Sou fã desse cineasta, o qual dirigiu filmes como O Sexto Sentido (sucesso de bilheterias), Sinais, Corpo Fechado, A Vila e Dama na Água. Shyamalan prima por filmes de suspense, onde sempre têm como foco o sobrenatural. Seus longa-metragens transitam entre fantasmas, extraterrestres e até comunidades utópico-alternativas, TODAS cimentadas em puro suspense.

Sou capaz de dizer que de qualquer assunto (até o mais banal) esse cara inventa uma forma criativa de torná-la um bom suspense. Com O Sexto Sentido (1999), Shyamalan tornou-se revelação na arte de assustar e arrancou aplausos da crítica. Mas, no decorrer de suas atuais filmografias (A Vila e A Dama na Água), o diretor também conheceu o lado feroz dos críticos cinematográficos e uma parcela do público. Estes dois últimos filmes citados, foram considerados fracasso de bilheteria, jogando um "balde de água fria" em uma carreira que está apenas tentando se firmar ao longo do tempo. A meu ver, como exemplo, A Vila não foi bem aceita pelo público por este mesmo não saber interpretá-la. É a mais pura constatação que tive. Confesso que quando sai do cinema, achei uma porcaria o filme; mas veja: eu já havia sido "alertada".

Talvez esse seja um dos grandes problemas da questão: a influência que sofremos de comentários alheios. Mais tarde, resolvi fazer um trabalho para a disciplina de Comunicação Comparada, e resolvi analisar de forma acadêmica os filmes A Vila e a A Praia. O motivo? Simplesmente porque a crítica contrária ao filme me deixou bastante intrigada, e logo aproveitei para comparar com um filme de outro diretor que gosto, Danny Boyle. Os comentários de "A Vila é ruim", "Joguei meu dinheiro fora", me acenderam a curiosidade de saber o porquê que um filme vindo de um diretor tão talentoso fora tido como tão péssimo assim. Vi, revi, analisei e tive de mudar minha primeira impressão. Cheguei a conclusão de que eu - assim como os que não gostaram - não soube interpretar o filme. Mas eu até entendo: todo mundo esperava um suspense com um final fácil, digesto como tantos outros. E para completar, na época de estréia, passava uma propaganda na tevê dizendo para que as pessoas que tivessem assistido ao filme, não contassem o FINAL para os outros. Acho que esse foi o grande erro de marketing do filme: não prometa nada que um público incapaz não possa entender.

Fim dos Tempos mal estreou e já sofre com críticas pessimistas, mais uma vez massacrando a carreira de Shy. De diretor revelação, agora a imprensa cita nos títulos coisas como "filme do polêmico Shyamalan", "Shyamalan tenta reerguer-se em nova tentativa", como se as obras do cineasta não prestassem mais. Mundo cruel esse, hein? Em um dia, você é posto lá em cima, no outro, te arrebentam, pois já virou costumeiro tacharem-no de ruim, apenas por um possível equívoco.

Amanhã assistirei ao filme, mas agora como uma espectadora isenta de opiniões anteriores e até mesmo de minha própria admiração por todo o conjunto da obra de M. Night Shyamalan.

Momoko Dolls vem com força total da terra do sol nascente


Que a Toy Art é a nova onda da cultura pop do momento, isso é indiscutível. Depois de Blythes e Momijis - entre outras - aparece agora no mercado internacional as Momoko Dolls. De aparência semelhante às americanas Barbies, as Momokos destacam-se pelos olhos levemente de traços orientais e estilos diversos.

De uma beleza delicada e vestimentas que variam entre o vintage e o hype, essas bonecas japonesas já são mania entre as jovens de seu país de origem. Com o slogan comercial "Quero ser uma garota como ela!", as Momoko Dolls exprimem em sua moda e design a intenção de transferir a imagem das consumidoras em seus próprios modelos. Como exemplo, as donas das bonecas adoram customizá-las - cortando os cabelos, mudando de maquiagem e roupa - e depois enviando as imagens para o site oficial do produto.

Para adquirí-las, deve-se encomendá-las pelo site ww.momokodoll.com/en/. Porém, um aviso: devido à sua produção apenas no Japão, o valor das bonecas é muito alto - algo em torno de R$ 300, incluído no preço as taxas internacionais de envio. A Barbie que se cuide...

O dia dos namorados de Serena Tsukino


O namorado viaja para os Estados Unidos para concluir seus estudos acadêmicos. Despede-se no aeroporto entregando à ela um anel de noivado. Ela todo dia escreve e envia uma carta à ele. Ele NUNCA responde. Ao mesmo tempo, um rapaz legal aparece em sua vida. A vida continua, as responsabilidades como estudante e heroína aumentam, novidades acontecem e...entre elas, uma grande dúvida - corresponder ou não a um possível novo amor? É diante dessa e outras questões que se desenrola a fase Stars de Sailor Moon. Mas atenho-me aqui, ao assunto do coração da heroína mais famosa do Japão.

Muitos sites na internet foram criados em defesa do provável novo casal da série, várias comunidades no Orkut incentivam um romance entre Serena Tsukino e Seiya Kou - tudo isso envolto em um clima polêmico. Polêmica por quê? Não é apenas o fato da visível possibilidade do fim do eterno casal lunar - a saber, Serena e Darien são as reencarnações da princesa e do príncipe da Lua - que põem em polvorosa os moonies mais tradicionais.

Explico: no anime, Seiya é um homem, porém, ao se transformar em Sailor Star Fighter, torna-se...tchãnã! Uma mulher! Ops! Como assim? Os reais motivos disso nem eu mesma sei ainda (estou assistindo os primeiros episódios dessa fase), mas no mangá, a polêmica toda é reforçada por Seiya ser o TEMPO TODO uma mulher, apenas disfarçada de homem no dia-a-dia da Terra (essa é ouuuutra história...). Acontece que Seiya tanto no anime como no mangá, é apaixonado por Serena, e os fãs mais ferrenhos não aceitam ver Sailor Moon envolvida em um caso talvez homossexual. Ironicamente, vem o casal lésbico formado por Haruka (Sailor Urano) e Michiru (Sailor Netuno) na contramão desse pré-conceito estúpido, mostrando através de seus milhares de fãs que opção sexual não é condição para determinar a índole de um super-herói.

Infelizmente esta covarde discussão arrasta-se em fóruns virtuais mundo afora, com moonies de mente tacanha - acusando de forma maldosa e desrespeitosa - Sailor Moon de lésbica. E aí eu pergunto: E se fosse, qual o problema? Isso tiraria toda a admiração e respeito daquela menina de maria-chiquinha loira e um enorme coração, que faz de tudo para salvar o mundo das forças do mal? Ouso dizer que quem pensa de tal maneira, é no mínimo infeliz.

Seiya (no anime) é um rapaz bonito, legal e divertido, tendo a façanha de fazer em menos de 5 capítulos, Serena muito mais feliz do que o Darien ao longo das cinco fases! Seiya sempre foi mais alegre, simpático e preocupado com a loirinha chorona, sempre a apoiando e a incentivando em qualquer momento. Além disso, ele demonstra muito mais vezes seu amor por Serena.

Darien começou a fase Classic com aquele ar de metido, as constantes discussões entre ele e Serena (quando ainda não sabiam sobre suas reencarnações) eram divertidas, levando uma massa de fãs a se emocionarem quando eles finalmente ficaram juntos. Fase R passa, Fase S passa, Fase SS passa, e a figura de "príncipe encantado" de Darien começa a se desmistificar...ele continua amando Serena, mas não é aquele namorado dos sonhos que imaginávamos. Claro que ninguém é perfeito (ainda mais um personagem de anime né!) mas a maneira um tanto quanto fria e distante que ele trata Serena, mais parece como um irmão mais velho cuidando da maninha. O relacionamento cai em um marasmo perceptível ao espectador - o que causa certa angústia em alguns fãs, que acusam Serena de ser tão relapsa até consigo mesma.

Diante de tais evidências e em vista de estar trilhando o longo caminho da fase Stars, confesso que Seiya já me cativou e ganharia o meu apoio se a dona Naoko Takeuchi - criadora de SM - deixasse de ser tão teimosa e visasse um bem maior para nossa querida heroína.

Cansei de Ser Sexy regrava o hit Cannonball


A galera da irreverente banda paulista Cansei de Ser Sexy está com o lançamento do single Cannonball marcado para o dia 14 de julho. A música é uma versão cover do grande sucesso dos anos 90 da banda norte-americana The Breeders. O hit fará parte do lado B de Left Behind - o próximo single do grupo.

Além disso, Donkey - o novo álbum do CSS - está com data de lançamento previsto para o dia 21 de julho. Agora, só falta aguardarmos o resultado deste inesperado projeto...

Para quem não conhece, o Breeders foi formado na década de 90 pela ex-baixista do Pixies, Kim Deal, e Tanya Donelly, do Throwing Muses. Após a saída de Tanya, Kim chamou sua irmã gêmea Kelley para participar da banda. Entre idas e vindas, o grupo está de volta desde o ano passado, lançando em abril deste ano o já elogiado álbum Mountain Battles.

Para quem nunca ouviu a famosa música do "dan dan dan dan dan dan dan...", aí vai o link do clipe da canção original no Youtube:

http://www.youtube.com/watch?v=7AsId-qVIb4

As Momiji são a nova sensação em toy art estilo japonês



Há algum tempo, passei pela vitrine de uma loja de artigos para presente de um shopping, e simpatizei com uma bela bonequinha de madeira em estilo japonês. Estava pintada de kimono branco, olhinhos orientais, super fofa. Segui meu caminho, mas aquele impulso consumista fervia em mim. Passei outra semana no mesmo local - a outra boneca, de kimono vermelho, já não mais aparecia. Fora vendida. Pensei: "A de kimono branco vai ser minha". E sim, foi só em pensamento, porque não a comprei naquele dia e futuramente ela não mais estava lá. Vendida. Até hoje, nunca mais vi outro exemplar da cativante figura...em nenhum lugar mesmo.

Meses se passaram e fico sabendo que a tal bonequinha é a nova mania de garotas descoladas na Europa. Sim, as fofíssimas Momiji são atualmente o novo hype para quem adora a cultura pop japonesa. Inspiradas nas Kokeshi - tradicionais bonecas japonesas - as Momiji são artesanais, pintadas à mão; possuidoras de uma personalidade particular. A coleção completa dispõe de 30 bonequinhas, cada qual com o nome de um adjetivo ou verbo bem-humorado.

A idéia de criá-las partiu do sucesso das famosas Harajuku Girls, as quais ganharam maior notoriedade no Ocidente devido à nova turnê da cantora Gwen Stefani. Mas, cá entre nós, aqui no Brasil esse fenômeno estourou mesmo há tempos, com a cultura dos animes e mangás - a qual inspirou o nome do meu bloguitcho! ^^

Confira a coleção completa no site http://www.momijishop.com/

Baile de gala para cosplayers na Inglaterra!


Você já se imaginou vestido de cosplay em uma festa de gala??? Pois é, é exatamente isso que propõe uma inovadora festa em Londres, no dia 30 de novembro deste ano. O evento recebe o título de Grand International Cosplay Ball, e acontecerá em um dos locais mais charmosos da capital inglesa: o teatro Claphan Grand - datado da época vitoriana e recentemente reformado para tornar-se uma moderna casa de espetáculos.

Este será o primeiro baile de gala com traje cosplayer de que se tem notícia. A festa promete muitas atrações musicais, dança e apresentações especiais de cosplayers; além disso, estará presente no evento Yaya Han - famosa modelo e cosplayer americana - como convidada especial. A organização do evento também permite trajes de estilos como Gothic Lolita e Vintage Fashion.

Indiana Jones em formato de Toy Art


Aproveitando a carona do sucesso do filme Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal - de Steven Spielberg -, as empresas fabricantes de brinquedo Hasbro e Suckadelic lançaram suas respectivas versões em toy art do arqueólogo mais famoso dos cinemas. A Hasbro encarregou-se de criar uma versão chamada de Mighty Muggs - bonecos em estilo urban vinyl e designer toy -, de Indiana e seus inimigos Cario Swordsman e Mola Ram.


Já a Suckadelic, empresa conhecida por seu design sempre bem-humorado (às vezes, sarcástico) mostrado em suas criações, passou o herói do chicote para o estilo do boneco SuckLord 600. Com o nome de Attackers of The Missing Stuff, a figura - feita para a exposição Raiders Of The Last Art, que ocorreu hoje nos EUA - custa 250 dólares.

Emily Strange nos cinemas!


Depois de vários super-heróis, chegou a vez da adolescente gótica Emily Strange ser retratada nas telonas. No início dessa semana, foi anunciado o projeto, que será produzido por Mike Richardson - fundador da Dark Horse Comics - localizada em Oregon (EUA). Segundo ele, Emily é uma menina muito atraente: "Há algo de muito encantador em sua imagem, as pessoas vêem e reagem imediatamente".

O skatista Rob Reger, criador de Emily e dono da empresa Cosmic Debris, explica o sucesso da singular personagem: "Na vida, todo mundo, especialmente na adolescência, quer se encontrar e se sente deslocado. Emily representa essa pessoa, mas sob uma luz positiva. Ela prefere ser diferente e olhar as coisas da sua própria maneira. É um ótimo modelo de comportamento para as pessoas pensarem por si mesmas".

Apesar de todas as declarações pró-Emily, nem Rob Reger, nem Mike Richardson, quiseram revelar maiores detalhes da nova empreitada: tanto o roteiro quanto o formato do filme (animação, atores reais ou uma combinação dos dois???) é mantido em segredo.

As novas Winehouse?



É, parece que a indústria musical da Inglaterra resolveu mesmo investir também na cena "soul-pop-retrô". Há pouco tinha aparecido Adele Adkins, anunciada aos quatros cantos do mundo como a "nova Amy Winehouse". Com voz decidida e adulta, contempla bonitas melodias que se encaixam perfeitamente em um dia calmo, tranqüilo - seja com aquele solzinho morno, ou até mesmo em uma nublada paisagem. Realmente aquece o coração. Tudo bem.

Agora de uns tempos pra cá, anunciaram outra grande revelação do estilo: Duffy (não, não é a Hilary). Seu nome completo é Aimee Anne Duffy, mas optou por ser chamada apenas pelo sobrenome para evitar comparações com a conterrânea Amy Winehouse. A postura vocal realmente é parecida, compõe também um estilo retrô, mas as semelhanças param por aí. Duffy vive com saúde, enquanto a Amy...bem, vocês sabem.

Tudo muito bom, tudo muito bem, mas...será que daqui há uma semana a imprensa irá anunciar outra substituta para Amy Winehouse??? Já estou ficando zonza com essas "promessas". Por que então não divulgar o "novo estilo", soul-pop-retrô (ou seja lá o que for) - que, convenhamos, é muito bom - do que essa comparação e tentativa desenfreada de apagar o talento da Winehouse? Embora deva estar sempre na rehab, ela sabe cantar, meus amigos (vocês gostando ou não).

Calma! Dentro de um mês (ou menos) aparecerá outra opção do estilo. Então, ouça rápido as novatas enquanto é tempo, porque daqui a pouco você estará por fora de todo o novo hype, segundo a mídia dita como especializada. Corre, corre, cordeirinho...

Confira o videoclipe Mercy, da cantora Duff: http://www.youtube.com/watch?v=KE2orthS3TQ

E Chasing Pavements, de Adele: http://www.youtube.com/watch?v=qz7vGW2_5c0


Kill Bill em anime?


É, parece que agora o prometido projeto de anime sobre Kill Bill que Quentin Tarantino tanto falava, em breve se tornará realidade. A princípio, seriam duas histórias: uma sobre a origem da Noiva e a outra sobre Bill. Tá, mas...quem é a fonte de tal preciosa informação? - pergunta você, leitor ávido pela verdade. E eu vos digo: Uma Thurman! Sim, a eterna heroína do uniforme amarelo! Segundo ela, Tarantino possui um material forte para as animações: "Agora ele está trabalhando na união dos dois filmes (Kill Bill 1 e Kill Bill 2), o qual terá um intervalo com uma seqüência de anime que ele já roteirizou. Algumas histórias adicionais estarão lá, dentro da animação", revela.

Se for realmente lançado, esse seria um "re-release", pois os filmes já foram relançados em uma edição especial em DVD. O negócio é faturar, né Tarantino?

Novo clipe de Madonna decepciona


Nessa semana, vazou na internet o clipe do novo single da Madonna, "Give It 2 Me". Com a participação de Pharrel Williams, o vídeo mostra um visual sofisticado e sensual que a cantora utilizou para um ensaio fotográfico da revista Elle. A música soa como um pop bem embalado, apesar de uma certa sonoridade no refrão lembrar um sample de uma música dela no passado, a qual eu não lembro o nome agora...

Enfim. Figurino elegante, performance invejável, música dançante mas...e o clipe? Resumindo em uma única palavra: ruim. O vídeo já começa com uma semelhança inquestionável do clipe Hung Up: Madonna alongando-se em uma sala, diante de um espelho. Depois, entre frames coloridos e em preto e branco, uma série de flashes coloridos - como aqueles usados em mensagens subliminares audiovisuais. Quase cega o observador atento. Além do que, o exagero em apropriar-se de fundos brancos e uma luminosidade muito clara, não surtiram o efeito esperado. Para quem era acostumada a ter excelentes clipes compondo sua carreira, parece que agora Madonna fracassou na tentativa de entrar mais a fundo em mundo um tanto quanto desconhecido para ela: o do hip hop.

Parafraseando o refrão de uma de suas músicas do álbum anterior, Confessions on the dancefloor: "Sorry", mas dessa vez, você errou a mão no vídeo, Mad.

Confira o "questionável" clipe no link abaixo:

http://www.youtube.com/watch?v=UWKzCKEHpVo&feature=related

A Família Cactus Pups aumentou!


A famosa e fofa coleção de toy art da empresa italiana Tokidoki, acaba de expandir a família Cactus Friends! Os sete novos bonequinhos, chamados igualmente de pup, possuem 1 polegada de altura e cada um vem com um acessório próprio, compondo sua personalidade. Conheça o nome de cada um:

Riposino - é o pup laranja do topo, acompanhado do amiguinho Adios.

Ciotolina - é a pup verdinha de franja "azul-emo". É acompanhada por um potinho de água.

Timidina - é a pup rosa, meiga e tímida; é acompanhada por um macaquinho cinza.

Salamino - é o pup amarelo e chorão, acompanhado de um...salame!

Bastardino Jr. - é o pup verde "bad boy" da turma, é acompanhado por um objeto estranho...

Tortellino - é o pup vermelho brincalhão e animado, junto com ele uma bolinha de futebol.

Malandrino - é o pup "gótico" e mal-encarado da família. Possui como acessório uma cabeça de caveira!

Gostou? Quer comprar? Custa 4,99 Euros cada.

Shirley Manson na série "Terminator: The Sarah Connor Chronicles"


A poderosa vocalista da banda Garbage, Shirley Manson, participará da segunda temporada da série americana Terminator: The Sarah Connor Chronicles. Shirley interpretará Catherine Weaver, a qual é diretora de uma empresa de alta tecnologia. O seriado de ficção científica tem como base os personagens das continuações do filme O Exterminador do Futuro.

Para quem não conhece o poder vocal de Shirley, aí vai o mais recente videoclipe do Garbage, Tell Me Where It Hurts:

http://www.youtube.com/watch?v=ZnKt8i_ppRs

Hikaru Shidou e Umi Ryuzaki em cosplay americano

Umi na versão rock n´roll e boneca de cera (vai dizer?) e a meiguice de Hikaru
___________________________________________________________________

Estava agora perambulando pela Internet, quando me deparo com essa foto das cosplayers americanas vencedoras do New York Anime Festival 2007 - Renee Glover (Umi Ryuzaki) e Sonnya Paz (Hikaru Shidou). Simplesmente ARRASARAM, na minha modesta opinião. Para os daltônicos-invejosos de um certo fórum: a cor da peruca da Umi é azul turquesa, e não verde como tentaram menosprezar. Além disso, lamentei profundamente que, de uma categoria formada por um TRIO, apenas duas levaram as honras - além de quebrar as regras, o evento demonstrou total desconsideração com a cosplayer da Fuu Hououji. Mas...por quê??? Alguns sugeriram os tradicionais costumes "controversos" da galera da terra do Tio Sam...vai saber...
Bem, voltando às duas, Renee e Sonnya foram escolhidas para representarem os Estados Unidos na final do World Cosplay Summit 2008. O evento contará com a participação de muitos outros países na disputa, incluindo o Brasil, claro! Em breve falarei sobre a dupla que representará nosso país na grande final, que ocorrerá este ano no Japão.


GREEK: Mais do mesmo?


O enredo da série não é nenhuma novidade para quem é acostumado a assistir seriados adolescentes - a própria chamada da propaganda de Greek resume: sexo, livros e rock n´roll. Apesar do tema já ter sido bastante explorado anteriormente, é sempre bom conferir um novo ponto de vista acerca do mesmo assunto, principalmente quando o elenco é desconhecido do grande público.

GREEK apresenta-nos o cotidiano do calouro Rusty Cartwright, um típico nerd, na fictícia Universidade Cyprus-Rhodes. Tendo em vista a vontade de abandonar seu passado "certinho" dos tempos escolares, Rusty pretende ingressar no sistema de uma fraternidade e "curtir a vida adoidado" (sim, salve Ferris!).

De início, ele é convidado pelo "engomadinho" Evan Chambers - namorado de sua irmã veterana, Casey - para entrar para a Omega Chi Delta. Porém, ao saber que Chambers traiu sua irmã, Rusty recusa o convite e termina por aceitar uma vaga na Kappa Tau Gamma, fraternidade liderada pelo intrépido e simpático Cappie, ex-namorado de Casey.

A partir daí, começam as aventuras e desventuras de Rusty e seus novos amigos pelo Campus de Cyprus-Rhodes. Confira!

Universal Channel - todas as quartas-feiras, às 23:00h. Reprises: Quinta à 1h e Sábado às 20h.

Nota: Nos EUA, Greek é exibido pelo canal ABC Family, onde a segunda temporada já estreou em março para os norte-americanos.

AIR: 10 anos de Moon Safari!


Tomei por conhecimento a existência do duo AIR, há mais ou menos dois anos atrás; ouvi algumas vezes e depois parei. Agora, no início dessa semana, retornei a ouví-los, aproveitando o atual clima de Porto Alegre - chuva, frio - para ficar imersa àquele som, por vezes nostálgico, da aclamada dupla francesa da cena eletrônica. O bom, é que coincidiu com o décimo niver do cd Moon Safari (recomendo!).

Com o significado "Amour, Imagination, Revê" (amor, imaginação, sonho), o AIR mostra que tais substantivos realmente compõem a qualidade intrínseca em suas músicas. Navegando através do chill out e do trip-hop, o duo francês ganhou destaque mundial em janeiro de 1998, com o lançamento do cultuado álbum Moon Safari.

Com o intuito de comemorar o aniversário de 10 anos de sua obra-prima, o AIR lançará um box especial limitado do cd, editado pela Astralwerks (nos EUA) e pela Virgin (Reino Unido). O projeto conta com três discos: a versão integral; versões ao vivo, remixes e demos reunidos; e um dvd contendo o documentário de uma hora: "Air: Eating, Sleeping, Waiting & Playing" e os clipes de alguns hits.

O site http://www.moonsafari2008.com/en/# com a seguinte chamada: "Em 1998, o AIR deu o Moon Safari ao mundo. Agora, em 2008, o AIR quer saber o que você fez com ele" - propõe aos fãs enviarem sua história com o disco, além de poder ler o que os outros internautas têm para contar sobre suas experiências com o som da dupla. Confira!

DORAEMON, o embaixador do anime!



Quem acompanhava quando criança a extinta TV Manchete, com certeza lembra de Doraemon e sua voz peculiar. O carismático gatinho-robô foi nomeado recentemente pelo ministro de Negócios Exteriores do Japão, Masahiko Koumura, como o embaixador do anime! Segundo o chefe do serviço diplomático japonês, não há nada que possa concentrar a atenção do mundo inteiro no Japão melhor que os animes e mangás. Além disso, mencionou também a grande aceitação da música pop japonesa ("J-Pop") tanto quanto a cultura de rua nascente no arquipélago; o que o leva a crer que tais ícones culturais possuem grande capacidade para atrair futuros aficionados e curiosos. Além de Doraemon, foram sondados para o mesmo cargo, Hello Kitty e Totoro, outros mundialmente famosos personagens de animes.

A iniciativa de ter como embaixadores culturais heróis de animes e mangás, foi uma questão de tentar restaurar a imagem pacifista do Japão, visto que alguns políticos do primeiro escalão iniciaram a discussão sobre a utilização de armas nucleares - justamente o ÚNICO país do mundo a ter sofrido um ataque atômico.

Em nota, o ministro afirmou esperar que Doraemon viaje pelo mundo todo, apresentando o lado positivo do Japão através dos animes e mangás.

É a vez de ONE REPUBLIC brilhar!


"Stop and Stare" seguidamente repete em meu playlist. Aliás, meu perfil no Last. FM, de uns dias pra cá, anda acusando os meus mais recentes abusos musicais - as faixas Apologize e Stop and Stare. Mas, de quem são essas músicas?, pergunta você, curioso (a) com aquela mãozinha no queixo e um certo ar de estranheza... Pois lhe digo que o culpado por eu estar viciada em tais melodias chama-se ONE REPUBLIC. Esta banda americana (e ótima, diga-se de passagem!) foi descoberta pelo que eu chamo de "Rei Midas" musical, o carismático produtor e cantor Timbaland. Não adianta, o cara tem "faro" para encontrar talentos de sucesso! A constante divulgação do perfil do One Republic no MySpace acabou por chamar a atenção do requisitado produtor, o qual resolveu apostar no triunfo da banda.

"Dreaming Out Loud" - título que leva o CD - foi lançado no final de 2007, e o remix do primeiro single (feito pelo próprio Timbaland) intitulado "Apologize", está no topo da parada da Billboard. Enquanto isso, o novo single "Stop and Stare" lançado no final de fevereiro na Europa, já está seguindo os mesmos passos, sendo recentemente exibido seu videoclipe na MTV e no canal Multishow.

Enjoy! :

http://br.youtube.com/watch?v=zhpqXbndFvQ

Lançamento mundial do 3° OVA da saga TOKYO REVELATIONS de Tsubasa Reservoir Chronicles!


É hoje!

Lançamento mundial do tão aguardado terceiro OVA da saga Tokyo Revelations de TSUBASA RESERVOIR CHRONICLES! Este especial é a continuação do 1° e 2° OVAs, com a própria roteirização e arte do grupo CLAMP. Para quem não sabe, estes "Original Video Animations" são a continuação do episódio da série em que Sakura, Syaoran, Kurogane, Fay e Mokona estão partindo da biblioteca para outro mundo, com o auxílio da magia de Fay (ou seja, esqueça os episódios posteriores a esse!). Os capítulos que se seguem após esse acontecimento são chamados "FILLER" - episódios desnecessários para o entendimento da verdadeira história, a qual é a do mangá.

O motivo de tal disparidade do verdadeiro enredo da história, deve-se a questões meramente comerciais para o estúdio de produção, como também para dar tempo da trama do seriado acompanhar o lançamento de um novo volume do respectivo mangá.

Abaixo segue o link de um site americano com imagens inéditas deste 3° OVA:

http://http://randomc.animeblogger.net/2008/03/17/tsubasa-tokyo-revelations-03-end/