Pages

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

HISTÓRIA QUE INSPIROU O APELIDO DA "HACHI" DO ANIME NANA ESTREIA NOS CINEMAS


Quem assistiu ao anime Nana (ou leu o mangá) deparou-se constantemente com a roqueira Nana Osaki chamando a amiga Nana Komatsu de "Hachi" ou "Hachiko" - com intervenções visuais em Komatsu, como as orelhinhas e o rabinho de cachorro. Pois bem, eis que essa semana estreou no país o filme "Sempre ao seu lado" (no original em inglês, Hachiko: A Dog's Story), o qual conta a história do cachorro mais famoso do Japão.

É necessário dizer que este é o segundo filme baseado na história de Hachiko - na verdade, uma refilmagem do longa japonês "Hachiko Monogatari", de 1987. O roteiro de ambos baseia-se em fatos reais: na década de 1920, um professor da Universidade de Tóquio andava sempre acompanhado por um cão da raça akita, o qual nomeou de Hachiko. Todos os dias Hachi ia até a estação de trem e esperava o professor, quando este voltava para casa. No entanto, o professor veio a falecer tempos depois e, acreditem - Hachiko passou cerca de DEZ ANOS esperando pelo dono na estação de trem.

Até hoje a história perdura - como uma lenda - passada de geração à geração, como uma prova de exemplo de lealdade. Existe até uma estátua de bronze em homenagem ao fiel akita perto da Estação Shibuya, em Tóquio.

Voltando ao filme norte-americano, Richard Gere interpreta o professor Parker Wilson (obviamente um nome fictício) e nem preciso mencionar que esta é uma versão ocidental do famoso relato. Há um personagem oriental que irá explicar certas características peculiares das crenças japonesas no decorrer do longa, facilitando assim o entendimento de certos costumes e misticismos correlatos. Sim, o próprio nome Hachiko é envolto nisso - significa oito em japonês e...e vocês terão de assistir ao filme para saber o resto.

A direção fica por conta do cineasta sueco Lasse Hällstrom - o qual dirigiu Regras da Vida, Chocolate, O Vigarista do Ano, entre outros.

É, prepare-se para chorar de emoção.


Obs: qualquer semelhança com Marley e Eu é mera coincidência - ou uma baita jogada de marketing, se vocês lembrarem que no mesmo mês, um ano atrás, Marley emocionava plateias e arrecadava milhões de dólares nos EUA...


2 comentários:

Mari Sayuri disse...

SIm, sim
O filme é muito bom *--*
Eu adorei muito, mas particularmente preferi a verção japonesa

Davi Lopes Ramos disse...

Essas história de cachorrinhos são sempre tocantes... mas vou esperar chegar na Sessão da Tarde :D:D

http://cinenaupati.tumblr.com/